segunda-feira, 26 de maio de 2008

Kay tem que ceder

Desde que assisti "Alguém tem que Ceder", o primeiro filme que eu me lembro de ter visto com a Diane Keaton, tenho um pensamento recorrente sobre esta atriz de tantos anos de carreira.

Que dentes horrorosos.

Sério. Juro que só quero vê-la em papéis dramáticos, para nunca mais ter a remota possibilidade de vislumbrar aquelas diminutas e amareladas aberrações.

Hoje, assisti "O Poderoso Chefão 2", como prometido. Ela encarna DE NOVO o papel chato de Kay Corleone, esposa de Michael Corleone, o chefão do filme, empossado no final do primeiro.

Mais uma vez, a mesma coisa. Papéis femininos torrando a paciência do público no meio das maquinações da Máfia. Ela chora. Ela reclama. Ela quer levar os filhos embora. E ela é feia. Bem feia. Sei lá que porra de padrão de beleza havia naquela época, mas ela era bem jovem, e já bem feia, com aquela cara amassada de cachorro...

Ok, naquela época os símbolos sexuais eram meio exóticos, mas acho que dava pra arrumar coisa melhor que ela sem abrir mão de uma atuação decente.

Bom, pelo menos ela não sorri em cena nenhuma do filme.

Nenhum comentário: