quinta-feira, 24 de abril de 2008

Assistam Family Guy. Já.

Tenho assistido muito "Family Guy", aquele desenho que, sem justiça, comparam com "Simpsons" e que, no Brasil, foi traduzido como "Uma Família da Pesada".

Como discutido anteriormente, o sufixo "da Pesada" já imbeciliza qualquer coisa. Dá vontade de colocar toda matéria de má notícia no jornal como "da Pesada", pra aliviar o baque, imaginem? "Um mensalão da pesada! Uma turminha de deputados muito louca, aprontando confusões ESCANDALOSAS em Brasília!". Certamente eu ficaria menos puto lendo isso que as manchetes usuais...

Mas enfim. O desenho é BOM. Muito bom. Rápido, agressivo, politicamente incorreto, com fortes doses de nonsense, referências pop ou não tão pop a tudo o que você possa imaginar, de Star Wars a Mark Twain, de História Medieval a polêmicas étnico-sociais. Na verdade, é difícil saber como o Seth McFarlane, criador e pai da criança (ele faz um monte de vozes dos personagens, bola as piadas, acho que ele até desenha e dirige o negócio) não foi preso ainda.

Descrever o desenho é difícil, já que os personagens são muito mais complexos que o menino peralta e skatista, a menina inteligente saxofonista e o bebê que não fala nem envelhece há 12 anos. Mais fácil que isso, é assistir um punhado de episódios e entender o negócio todo. Dando uma resvalada no tópico, apenas, saibam que o nenê da família é um gênio do Mal na busca pela conquista mundial, e o cachorro da família lê Hemingway, bebe martinis e aparenta ser a "pessoa" mais normal do elenco de mais de 100 personagens. Mas minha descrição não lhe faz justiça, volto a dizer.

Incrivelmente, o desenho sempre é comparado com "Simpsons". Simpsons é ok, confesso. Já me diverti muito com eles. Mas eles são uma família malucona em desenho animado, onde mãe, pai, cachorro, menina, menino e bebê convivem e aprontam as mais loucas confusões. Familiar? Sim, de fato. MAS AS SEMELHANÇAS QUASE ACABAM AÍ. Gosta de Simpsons? Nada contra, mas não se sinta na obrigação de atacar ou criticar Family Guy por causa disso. Eles estão a quilômetros de distância um do outro. Jetsons e Flintstones falam de famílias que aprontam as mais loucas confusões, e ninguém nunca comparou com os Simpsons. Ainda bem, porque os Estúdios Hanna Barbera nunca produziram nada que me fizesse rir, nem sob o efeito de drogas.

Na realidade, Simpsons já criticou Family Guy de modo agressivo, dentro e fora do desenho, como sendo um plágio. Depois de 2349823 anos fazendo a mesma coisa, o Matt Groening, criador dos sujeitos, deve estar cansado, com vontade de se aposentar, e não tem mais humor pra concorrência.

Novos tempos, Mattie. Seth McFarlane é mais novo, mais ágil, mais ousado, e muito, muito mais engraçado.

Nenhum comentário: